Sobre o meu processo criativo





Oi gente,

Hoje vim contar um pouco mais de como funciona o meu processo criativo. A ideia por trás de contar essas pequenas particularidades minhas é mostrar que além de eu ser "gente como a gente" é deixar bagagem para quem está por aí dando a cara a tapa e lutando pra criar seu próprio processo.

Volta e meia alguém me procura pedindo dicas ou querendo tirar dúvidas sobre a criação ou até mesmo a edição de livros. E pensando sobre isso resolvi abrir esse espaço aqui.
 É bem verdade que muitos escritores conceituados guardam seu processo criativo, suas técnicas e sacadas como se guardasse um cofre cheio de ouro, sob sete chaves, no fundo do fundo do fundo do fundo do oceano. 

Eu não sei porque isso acontece, mas cada um é cada um, mas eu não vejo porque não discutir sobre criação, criatividade e processos. Então vamos botar a boca no trombone.

Quanto mais autores bons tivermos no Brasil, mais leitores formaremos no caminho.

Uma das coisas que eu faço e que me ajudam muito a fugir de bloqueios e até ordenar as minhas ideias é o famoso roteiro de cenas.

Eu sei que é muito gostoso sentar e deixar a imaginação nos levar a onde bem quiser, mas o problema nisso, pelo menos pra mim, diz mais respeito aos furos que acabam por aparecer na trama. Desde um cabelo que muda de cor misteriosamente a uma cena que simplesmente não tem qualquer motivo para aparecer.

Talvez eu seja um pouco perfeccionista, mas esses furos nas histórias acabam com a minha vontade de ler e olha, como leitora crítica, já vi muito livro famoso com furos bobos que me fizeram ficar de boca aberta.

Mas enfim, você não precisa fazer um roteiro de cenas, o livro é seu, o processo é seu e você faz como bem entender.

Eu faço roteiros com as principais cenas e marco onde vão os pontos de virada, para me guiarem ao destino que eu quero. Isso não quer dizer, no entanto, que não deixe a imaginação rolar solta. De vez em quando preciso mudar o roteiro, rever ideias, cenas e até características.

O importante nisso é que tenho uma boa base e um ponto aonde quero chegar, é claro que como meus roteiros são flexíveis às vezes o final da história muda e é aí que está a graça da coisa.

Bom, é isso por hoje.

E para você, como funciona o processo criativo? O que você faz?




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário ele é muito importante pra mim...
Abraços!
Graci Rocha